Com mistura de ritmos, primeiro dia do ‘Festival da Virada’ reúne 200 mil pessoas em Salvador

Público na Arena Daniela Mercury, montada na orla da Boca do Rio, em Salvador (Foto: Jefferson Peixoto/Secom)

O primeiro dia do Festival da Virada, nesta quinta-feira (28), reuniu 200 mil pessoas na orla da Boca do Rio, em Salvador, segundo estimativa da gestão municipal. O público acompanhou shows de Duas Medidas, Pabllo Vittar, Gilberto Gil, Aviões, Gusttavo Lima e Harmonia do Samba.

Todas as apresentações são gratuitas e o cronograma de festas segue até o dia 1º de janeiro.

Uma das atrações mais esperadas da noite, Pabllo Vittar subiu ao palco, por volta das 20h, com 30 minutos de atraso. O público que o aguardava, no entanto, nem se importou com a demora e ovacionou a cantora assim que surgiu no palco ao som da música “Nêga”.

Pabllo Vittar no Festival da Virada, em Salvador, na noite desta quinta-feira (28) (Foto: Jefferson Peixoto/Secom)

“Obrigado pelo carinho de vocês. Obrigado, Salvador”

No repertório, também teve músicas como “Então vai”, “Minaj”, “Amante”, “K.O” e “Na sua cara”, sucesso gravado com a cantora Anitta.

Fãs mais afoitos se espremiam na grade para ver a drag de perto e gritavam: “Pabllo, eu te amo”. Como resposta, a cantora desceu do palco e ficou numa plataforma instalada entre a grade e a estrutura. Chegou a tocar na mão de muita gente e até ganhou presentes, como camisetas, bonés, atirados pela plateia.

Antes do show, falou com jornalistas sobre a gravação do seu segundo álbum em Los Angeles, em 2018, sobre a gravação do clipe com Luccas Lucco e ainda disse que vai passar a virada do ano sem calcinha para trazer sorte para sua carreira.

Pabllo Vittar no Festival da Virada, em Salvador, na noite desta quinta-feira (28) (Foto: Jefferson Peixoto/Secom)

No show, entre uma música e outra, falava sobre representatividade e a bandeira que empunha em prol dos direitos do público LGBT.

“Representatividade importa. Sei que hoje represento muita gente. Tem pessoas que, assim como eu, passam por vários problemas e o que eu digo é que não podemos desistir”

“Independente do corpo ou da nossa orientação sexual, você pode ser diva”

As palmas não cessaram quando Gilberto Gil, todo de branco, apareceu com sua guitarra. Cantou de tudo: MPB, forró pé-de-serra, axé e samba. Prendeu a atenção do público e ainda fez as pessoas cantarem junto, em coro, cada canção.

“Estou aqui representando a velha guarda”

Canções antigas e novas, como “Tocar-te”, que gravou em conjunto com Gal Costa e Nando Reis, embalaram a apresentação. Cantou ainda “No woman no cry”, “Tempo rei”, “Andar com fé” e “Vamos fugir”, de Skank.

O cantor também fez homenagens. Antes de começar a cantar axé, lembrou das bandas Harmonia do Samba, outra atração do primeiro dia do Festival da Virada, e Psirico. “São duas das bandas mais importantes da Bahia”, comentou.

Fez menção também ao cantor e compositor Jackson do Pandeiro, que compôs uma musica cuja letra motivou o nome do grupo Chiclete com Banana. “Vou cantar aqui um samba, Chiclete com Banana, do Jackson que acabou dando nome a outro grupo dos mais importantes da Bahia. Quero ver todo mundo se jogar”.

Enquanto tomava uma água, na pausa entre uma música e outra, Gil ouviu o público gritar “Fora Temer”, entrou na onda da galera e ainda fez piada.

“Quando o mestrinho [um dos integrantes de sua banda] apareceu para fazer a passagem de som de hoje, todos nós da banda dissemos: ‘poxa, mestrinho você emagreceu nesse Natal. O que aconteceu?’. Aí ele disse: ‘Emagreci porque foi fora tender e dietas já’. O brasileiro não perde nada para fazer uma piada. Até com protesto sério. Para quem quiser ficar magrinho, seco, bonitinho, no Natal e no ano novo, ‘Fora Temer’. E, se quiser um pouquinho mais de forma física, ‘Dietas já’”, brincou o artista, sob aplausos.

globo.com

Comentários no Facebook